Destinos Jeep: Cidades que contam a história do Brasil

14/12/2020 Destinos Jeep


Se você é uma pessoa que curte arquitetura e história, há vários pontos turísticos para visitar sem ir para muito longe de casa. Seja para passeios longos ou um bate e volta com seu Jeep, é possível planejar roteiros incríveis com direito a descanso e muita cultura, além de cenários dignos de um ensaio fotográfico.

Conheça algumas cidades de Minas Gerais e Rio de Janeiro que ajudam a contar a história do Brasil, desde a época da colonização até o período imperial. Antes de ir, confira nosso Guia completo e prepare seu carro para a viagem.

Ouro Preto, Minas Gerais

Antigamente chamada Vila Rica, Ouro Preto é um dos pontos de parada da Estrada Real. Essa cidade é muito movimentada no carnaval e durante festivais de música, cinema e gastronomia. Mas o caráter histórico da cidade, com o friozinho dos morros de Minas e o aconchego do interior já são, por si só, atrativos turísticos.

As ruas e prédios são bem conservados no estilo do século XVI, provocando uma sensação de viagem no tempo, intensificada quando se conhece a história do lugar, marcada pela corrida de exploração do ouro e de negros escravizados. Seu conjunto arquitetônico foi tombado como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.

A Praça Tiradentes é o centro de Ouro Preto e lembra a história de Joaquim da Silva Xavier e dos outros inconfidentes, que foram presos onde é o atual Museu da Inconfidência. Ali perto, o Museu dos Contos abriga a história da moeda e uma antiga senzala. A cidade possui diversas igrejas, que retratam uma história de devoção e riqueza, como a Igreja N. S. Do Carmo e a Igreja Matriz de N. S. Do Pilar. Pela cidade, há também muitas minas que podem ser visitadas, como a Mina do Chico Rei, pertencente a um príncipe do Congo que fora trazido como escravo e conquistou a própria alforria.

Antes de encerrar o passeio, vale pegar o trem para Mariana, que é logo ali do lado, e muito parecida com Ouro Preto. Lá tem uma das maiores minas abertas a visitação do mundo, com mais de 300 metros de extensão, 120 metros de profundidade e um lago subterrâneo. A Mina da Passagem foi explorada até a década de 1980 e a visita é feita em um trolley - aqueles pequenos vagões sobre trilhos.

Diamantina, Minas Gerais

Diamantina abriga uma rica história colonial e já foi habitada por figuras nacionais marcantes. A cidade foi fundada em 1713, com a exploração do ouro no vale do córrego do Tijuco, mas se tornou mais populosa com a descoberta de diamantes. Sua importância econômica tornou o município culturalmente relevante e seu conjunto arquitetônico e urbanístico chegou a ser tombado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Além das diversas igrejas e monumentos históricos, a cidade também tem prédios projetados pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

Dois lugares que valem a visita são a Casa de Juscelino Kubitschek e a Casa de Chica da Silva. Transformado em museu, o lugar onde o ex-presidente do Brasil cresceu ainda abriga sua biblioteca, objetos pessoais, fotos e violões usados em serestas. Já a antiga residência onde Chica da Silva morou após ser escravizada e alforriada na região do Arraial do Tijuco, hoje é sede do IPHAN. O solário, onde ela viveu com luxo ao lado do marido, guarda sua coleção de quadros, nos quais é retratada como rainha negra.

Já o Museu do Diamante tem sede em um casarão construído em 1749. Seu acervo guarda objetos do século XVII a XIX, que remetem à mineração de diamantes, obras de arte, móveis e louças da época. Outros locais que ajudam a contar a história da cidade são a Antiga Casa da Intendência, a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, a Basílica Sagrado Coração de Jesus e a Igreja de São Francisco de Assis, entre outras.

Paraty, Rio de Janeiro

Paraty foi fundada em 1667 e foi um importante pólo econômico na produção de cana-de-açúcar. Sua história também é marcada pela maçonaria, cujos símbolos ainda são vistos em construções locais, e conta-se que seu porto já recebeu a visita de muitos piratas. Uma lembrança da época é o Forte do Defensor Perpétuo, que protegia o escoamento de ouro e açúcar, e hoje funciona como museu.

Hoje, a cidade recebe muito movimento no verão e nas épocas do Festival da Cachaça e da Festa Literária Internacional (Flip). A região é conhecida pelas belas praias e seu Centro Histórico foi tombado como Patrimônio Nacional pelo IPHAN. Seu conjunto arquitetônico remete à época da colônia, com construções do século XVIII e XIX e calçamento de pé-de-moleque, onde o tráfego de veículos é proibido. 

No centro, vale a pena andar a pé pelas ruas coloniais, observando sua arquitetura colorida até chegar à Praça da Matriz, onde se reúnem bares e restaurantes charmosos. A gastronomia local é marcada por peixes e frutos do mar, mas também tem espaço para a culinária internacional. Ali perto, a Igreja de Santa Rita é considerada um cartão postal da região, e vale visitar também a Igreja Nossa Senhora das Dores e outras que se espalham pela cidade. 

Um grande atrativo turístico de Paraty são os passeios de barco, visitando praias e ilhas, onde é possível pescar e mergulhar. As mais famosas são a Ilha Comprida, Ilha dos Ratos, dos Araújos, do Catimbau, dos Ganchos, do Coco e dos Meros. Também vale a pena se aventurar nas cachoeiras do Tobogã e Pedra Bonita, conhecidas por suas piscinas naturais.

Petrópolis, Rio de Janeiro

Petrópolis é uma cidade luxuosa, onde é difícil se hospedar em época de eventos e festivais. A região foi escolhida por Dom Pedro II para instalar sua casa de veraneio em um ambiente sossegado, com clima agradável e próximo às montanhas. Seu casarão é hoje o Museu Imperial, que além de preservar a arquitetura e o mobiliário utilizado pela família real, também guarda trajes e jóias da coroa, documentos oficiais, obras de arte, livros e muito mais.

No Centro Histórico você encontra muitos casarões antigos, com belos jardins e a possibilidade de visitação ao acervo. A Praça da Liberdade e o Palácio de Cristal são ambientes bem fotogênicos. Já a Catedral São Pedro de Alcántara é um ponto turístico religioso, histórico e arquitetônico, por sua construção em estilo neogótico francês, belos vitrais e os restos mortais de D. Pedro II e a Princesa Isabel.

Para além da família real, o Museu de Cera é uma referência por suas estátuas de grandes celebridades da música, do cinema e intelectuais. Não deixe de visitar também a Encantada, uma casa peculiar onde morava o aviador Santos Dumont e que ainda guarda documentos, invenções e objetos pessoais. E para quem curte turismo cervejeiro, vale conhecer a fábrica da Cervejaria Bohemia, que data de 1853, e é aberta a visitação.

Próximo à entrada da cidade, está o Palácio Quitandinha, inaugurado em 1944 para ser o maior cassino da América Latina, seguindo as tendências da arquitetura europeia e o design de cenários de Hollywood. O lugar já recebeu visitantes célebres como Orson Welles, Walt Disney e muitos outros.


Agora que já escolheu seu destino, não deixe de conferir algumas dicas sobre como preparar sua bagagem.