Guia Completo: prepare seu carro para a viagem

07/01/2021 Destinos Jeep


Tem gente que ama planejar viagens e já faz isso com antecedência, preparando os mínimos detalhes. Outras pessoas já querem partir logo para a parte boa, e não curte ficar fazendo planos, calculando gastos, verificando rotas, etc. Mas um bom planejamento pode evitar muitas dores de cabeça e imprevistos, e assim você aproveita muito mais a viagem com seu Jeep.

Por isso, preparamos algumas dicas para você se organizar antes da viagem. Nesse guia, você vai conferir:

como fazer o planejamento para pegar a estrada;

o que verificar na revisão do seu Jeep;

cuidados durante a viagem;

e uma check-list do que não pode esquecer de levar no carro.


Como se preparar para a viagem

1. Destino

O primeiro de tudo é, claro, escolher o destino e traçar a rota para conhecer o caminho com antecedência. Isso interfere diretamente no seu Jeep, porque você deverá calcular a distância da viagem para saber qual o seu gasto com combustível. Se precisar de algumas dicas, temos algumas sugestões de destinosincríveis para ir com seu Jeep.

2. Pontos de parada

Dificilmente você irá fazer uma viagem sem parar nenhuma vez para descansar. Por isso, tendo um roteiro, você pode escolher onde comer ou esticar as pernas, e também em quais postos de gasolina poderá abastecer com mais segurança. Se for uma viagem muito longa, você também pode encontrar um hotel no caminho e até localizar alguns pontos turísticos que queira visitar. O GPS pode te ajudar nesse planejamento.

3. Bagagem

Não é recomendado levar excesso de peso no veículo, pois isso interfere no desempenho, sobrecarregando o motor e o freio, além de dificultar a direção. Mas se você for fazer um acampamento ou um mochilão, você provavelmente vai precisar levar muita coisa. Então fazer uma lista antes pode te ajudar a evitar o sobrepeso com coisas desnecessárias. Temos um post que pode te ajudar a arrumar sua bagagem.

4. Escolha o melhor horário

Viajar nos horários de pico pode atrasar a chegada, ao enfrentar engarrafamentos dentro ou na saída da cidade. Nas estradas isso também é comum em épocas de feriado ou fim de semana. Sem contar que estrada cheia também contribui para o risco de acidentes. É difícil prever a imprudência do outro.

Ao planejar, considere os horários de saída e chegada. Os melhores momentos para viajar de carro são antes das 7h, entre 14h e 16h, ou após as 20h.

Sabemos que nem sempre é possível ter muita escolha quanto ao horário de pegar a estrada, como quando viajamos ao sair do trabalho. Se não puder se planejar, conte com o atraso. Dirigir depressa pode causar mais problemas do que soluções.

5. Cálculo do combustível

Saber quanto vai gastar de combustível na ida e volta é importante não só para se planejar financeiramente, mas também para saber se vai precisar parar em algum posto de gasolina no caminho. Confira o passo a passo para fazer esse cálculo:

1.     Saiba qual o consumo médio do seu carro. Caso não saiba e não tenha tempo para fazer o teste, pesquise considerando o ano e o modelo do veículo.

2.     Tenha em mãos o preço do combustível do seu posto de confiança. Você também pode pesquisar a média do valor cobrado nos postos da estrada que irá pegar.

3.     Por último, saiba a distância a ser percorrida na ida e volta. Para ter mais precisão, considere a distância da sua casa até o endereço final.

4.     A fórmula aplicada será a seguinte:

Gasto = distância / consumo médio do carro x valor médio do litro do combustível

7. Gastos com pedágio

Se quiser colocar tudo na ponta do lápis, existem alguns aplicativos e sites que fazem a simulação do gasto com pedágio, segundo a estrada que irá utilizar. Alguns deles são o Qualp, Mapeia e Rotas Brasil. Você pode calcular os gastos com combustível por lá também.


Use o GPS como seu aliado

Hoje em dia o sistema de localização por satélites possibilita ao motorista acessar informações tanto online quanto offline. Essa praticidade nos permite saber sobre o trânsito, checar as melhores rotas e vários outros benefícios. No caso das viagens, esse sistema pode ser uma “mão na roda” quando o assunto é planejamento e segurança.

Mesmo que você já conheça o caminho que irá fazer, o GPS traz algumas vantagens  por conta dos recursos como: mostrar distâncias, localizar pontos de parada e postos de gasolina, e corrigir rotas, por exemplo. Já se você estiver indo para um destino inédito, esse é mais um motivo para não abrir mão desse sistema.

Durante a viagem, os sistemas on-line, principalmente do celular, são ótimos para sondar o trânsito e a condição das estradas. Você pode observar e reagir com antecedência quando tiver um desvio, radar, buracos na pista, obras ou mesmo um engarrafamento que pode ser evitado.

Especificamente para viagens off road, a funcionalidade off-line é muito importante. Assim, o GPS não te deixa na mão caso não haja sinal e você pode continuar verificando a rota. Isso também vale para quando você precisar economizar dados móveis.

Para usar essa funcionalidade, você precisa fazer o download do mapa antes da viagem, quando ainda tiver conexão com a internet. Além do Google Maps, alguns exemplos de apps que funcionam off-line são Waze, Maps.Me, TomTom Go Brasil, Here WeGo e GPS Brasil, entre outros.

Mas se você tem receio de usar o GPS por medo de ser levado a lugares perigosos, confira algumas práticas que podem reduzir esse risco:

Como evitar armadilhas do GPS

1. Faça um estudo da rota e verifique se o local de destino marcado está correto, pois pode acontecer de ter mais de um lugar com o mesmo nome;

2. Escolha o modo de visualização que mais facilite a identificação do trajeto: o modo 2D pode ser o mais indicado;

3. Utilizar o sistema de voz do GPS também ajuda a manter a atenção e não errar os comandos, evitando de ter que corrigir o trajeto;

4. Caso não conheça a rota, opte por aquela que prioriza rodovias, avenidas e ruas mais conhecidas e sinalizadas. Pegue atalhos (trajetos curtos) apenas se já estiver acostumado com aquela rota;

5. Mantenha o sistema ou aplicativo sempre atualizado para que você saiba sobre as mudanças nas sinalizações de trânsito.


Faça uma revisão antes de viajar

Antes de colocar as rodas na estrada, a primeira regra é a revisão. Afinal, ninguém quer ficar parado no meio do caminho, muito menos provocar um acidente. Mesmo que você tenha um seguro, é melhor que não precise acioná-lo por simples descuido.

Para o motorista que já faz a revisão periódica, é bem provável que não precise fazer nenhuma manutenção antes da viagem. Mas se esse não for o seu caso, é bom visitar o mecânico alguns dias antes. A antecedência é importante para o caso de ter que comprar alguma peça ou fazer algum reparo mais demorado.

O ideal é que seu Jeep passe por uma revisão a cada dez mil quilômetros ou seis meses de uso. Mas essa data pode ser antecipada se o veículo apresentar algum sinal de mau funcionamento.

Caso contrário, você pode apenas fazer um check-up para confirmar se tudo vai funcionar bem antes durante a viagem. Assim, você evita surpresas desagradáveis e gastos extras, inclusive com multas.

O que verificar

1. Água do radiador: dentro do nível ideal de quantidade, a água evita superaquecer o sistema de arrefecimento. Quando o nível é baixo, os danos podem ser enormes, podendo provocar até a fundição do motor.

2. Óleo do motor: deve ser trocado ao menos uma vez ao ano. Ele é muito importante para fazer a lubrificação das peças e ajudar no resfriamento do motor. Quando seu nível está baixo ou há vazamentos, aumenta o atrito e o desgaste das peças, e a fundição do motor também é um risco grave.

3. Pneus: quando estão carecas, os pneus prejudicam a segurança do seu carro, pois é comprometida a aderência com o solo. O ideal é observar o marcador, que indica se já ultrapassou o tempo de uso e está na hora de trocar. Em caso de rasgos, furos ou bolhas, a troca deve ser imediata.

4. Alinhamento e Balanceamento: O alinhamento ajusta os ângulos das rodas do seu carro, reduzindo as chances de perder o controle durante uma curva, por exemplo. Já o balanceamento faz com que as rodas girem sem vibrações, o que evita o desconforto das trepidações no volante e em outras partes do carro.

5. Sistema elétrico: Na falta de bateria, seu carro pode simplesmente não ligar e você sequer sai da garagem. Na estrada, o transtorno pode ser ainda pior, então não deixe de checar se está tudo certo com esse componente. Verifique também as fiações e o alternador, que é responsável pela recarga da bateria à medida que a energia é basta.

6. Lanternas e faróis: esses equipamentos são fundamentais para segurança, sobretudo em viagens noturnas. Trafegar com alguma luz queimada pode resultar em multa, então por esses dois motivos, é melhor nem arriscar. Verifique se essas peças estão funcionamento bem ou providencie a troca.


Cuidados durante a viagem

1. Não dirija cansado

É imprescindível que o motorista tenha condições físicas e mentais para dirigir. Quando você está cansado, seus reflexos diminuem, tornando sua percepção e reação muito mais lenta. É claro que isso é um risco para acidentes ou, no mínimo, dormir no volante e acordar no susto.

Por isso, se a distância da viagem for longa, vale tomar ao menos um desses três cuidados: dividir o volante com outra pessoa; fazer paradas para esticar as pernas, comer e relaxar; e parar para dormir, seja no carro (em um local seguro) ou hotel.

2. Confira o nível do combustível

Parece meio óbvio, mas não custa lembrar. Você pode ter saído de casa com o tanque cheio, mas se a viagem for longa e você tiver que abastecer no caminho, é bom se preparar.

É melhor não ser pego de surpresa e acabar ficando sem gasolina na estrada ou ter que parar em um posto pouco confiável. Por isso, lembre-se de planejar onde e quando precisa abastecer, caso seja necessário.

Em viagens longas, uma boa prática pode te ajudar a economizar gasolina. Dê preferência ao ar condicionado, ao invés de andar com os vidros abertos.

3. Seja prudente

Ao dirigir, o motorista assume uma grande responsabilidade tanto com os passageiros do seu carro, quanto o dos outros também. Por isso, esteja atento, respeite a sinalização de trânsito e exija que todos usem cinto de segurança. Não consuma bebidas alcoólicas ou use substâncias que afetem o sistema cognitivo. A segurança deve ser sua prioridade.

4. Sinais de imprevisto

Se você fez uma boa revisão antes da viagem, a chance de surgir algum problema mecânico é bem menor. Mas na estrada podem surgir alguns obstáculos que causam danos, como buracos, lombadas e outros.

Se observar algum sinal de mau funcionamento no seu veículo, avalie se é possível esperar ou se o reparo precisa ser imediato. O painel será seu melhor indicador: na luz amarela, o problema pode ser reparado assim que possível. O preocupante é a luz vermelha. Nesse caso, utilize seu kit de ferramentas se souber usar, ou procure ajuda profissional rapidamente (ver check-list).

5. Revisão após a volta

Se você passou por estradas irregulares, enfrentando buracos, quebra-molas e outras adversidades, ou observou sinais de mau funcionamento do veículo durante a viagem, é bom levar o carro para a revisão quando voltar. Longas distâncias exigem bastante desempenho do veículo e qualquer sinal de falha merece atenção.


Checklist: o que não pode faltar no seu Jeep durante a viagem

Documentos: Certificado de Registro de Licenciamento de Veículos (CRLV), Carteira Nacional de Habilitação (CNH), apólice do seguro em vigor e manual do proprietário. A falta de documentos obrigatórios pode resultar em multa e apreensão do veículo.

Carregador de celular: é essencial que seu celular esteja funcionando para o caso de emergências ou mesmo para usar o GPS.

GPS: seja o sistema de navegação do carro ou do próprio celular. Em último caso, vale até ter um mapa.

Estepe em boas condições: caso um pneu fure e precise trocar.

Calibrador de pneus: para manter a pressão ideal, segundo o manual do veículo.

Fixador de pneu: para vedar o pneu furado, quando não for possível trocar imediatamente. É necessário que seja compatível com seu pneu.

Cabos de condução elétrica: para carregar a bateria em uma emergência. Lembre-se que ao fazer a “chupeta” é necessário obedecer as normas de segurança do manual do veículo.

Equipamentos obrigatórios e extras: você deve ter sempre em seu carro chave de rodas, macaco, triângulo, lanterna e até uma caixa de ferramenta pode ser útil. O extintor de incêndio não é obrigatório por lei, mas pode ser primordial em uma emergência.

Kit de primeiros socorros: Apesar do Código de Trânsito Brasileiro não considerar obrigatório o kit de primeiro socorros em automóveis é sempre bom ter esse item para realizar procedimentos básicos de emergência no caso de acidentes. Mas de nada adianta ter o kit e não saber usar, pois você pode piorar a condição de saúde da pessoa que precisa de socorro. Por isso, o melhor é estacionar, sinalizar, ligar para a emergência e pedir orientações.

Contatos do seguro, guincho ou mecânico: caso precise.


Pronto, agora você tem um passo a passo de tudo que precisa para uma viagem perfeita com seu Jeep.

Gostou das dicas? No nosso blog, estamos sempre trazendo conteúdos bacanas para quem é apaixonado por Jeep e leva ele em todas as aventuras. Acompanhe nossos artigos para conferir sugestões de viagens, cuidados com seu Jeep e muito mais!