Destinos Jeep: conheça as dunas de Itaúnas ES

07/01/2021


Que tal uma aventura capixaba com seu Jeep? Se você gosta de cenários paradisíacos, sossego e emoção, prepare-se para conhecer as praias e dunas de Itaúnas, no Espírito Santo. Esse distrito de Conceição da Barra fica a 285 km de Vitória e encanta visitantes do Brasil inteiro.

Em tupi-guarani, Itaúnas significa "pedra preta", em referência às rochas que surgem nas praias quando a maré baixa. A região foi declarada Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco e é protegida pelo Parque Estadual de Itaúnas. Lá é um verdadeiro paraíso, com vegetação selvagem que ainda preserva trechos da Mata Atlântica.

Até hoje, a vila de pescadores mantém a simplicidade e tranquilidade de antigamente, além de guardar uma história impressionante. Na década de 1960, a antiga vila chegou a ser soterrada pelas dunas, que podem chegar a 30 metros de altura e se tornaram atração turística. Cerca de 20 anos depois, o lugar foi descoberto por turistas e mochileiros que se encantaram pela beleza do cenário.

Mas não é só de paisagem que se faz a viagem. Além de visitar praias selvagens, você pode encarar dunas e trilhas, curtir festivais de forró e se hospedar em pousadas rústicas super aconchegantes. Deu vontade de viajar né? Então, prepare seu Jeep, arrume sua bagagem e ponha os pneus na estrada.

Leia também: Guia completo para preparar seu carro para a viagem.

Como chegar

Para chegar a Itaúnas, o caminho mais conhecido é por meio da BR-101, seja vindo do sul ou do norte. Pegue o trevo de Conceição da Barra e siga por 14 km até o trevo de Itaúnas. De lá, é preciso encarar mais 21 km em estrada de terra batida, comendo poeira.

Como em Itaúnas não tem posto de gasolina ou caixa eletrônico, é indicado fazer uma parada em Conceição da Barra para abastecer o tanque e os bolsos.

Conheça também os quatro cidades que contam a história do Brasil, outro Destino Jeep de tirar o fôlego.

O que fazer em Itaúnas

Em algumas épocas do ano a cidade atrai muitos turistas, sobretudo jovens. Nas férias de verão, o sol é um grande atrativo. As pessoas aproveitam para conhecer as praias, curtir as dunas e observar a desova das tartarugas, entre dezembro e março.

Em Itaúnas, há uma base do Projeto Itamar, onde você pode conhecer mais sobre a vida dos répteis e participar desse momento marcante do nascimento dos bichinhos. Essa base foi criada em 1991 e é monitorada por 38 Km de praia, chegando ao litoral da Bahia. O passeio encanta tanto crianças quanto adultos.

No verão, os bares com música ao vivo e as casas noturnas são tomadas pelo forró. Dá para dançar até o sol raiar. Já na segunda quinzena de julho, acontece o Festival Nacional de Forró, com apresentação de músicos locais e nacionais. Ao longo do ano, tem também espaço para outros ritmos, como samba-rock e MPB.

E não é só isso que movimenta o turismo do distrito. Em setembro ocorre o Festival Gastronômico Itaúnas e Sabores, que é de dar água na boca. Ou seja, em qualquer época do ano, tem muita coisa boa para fazer por lá.

Visita a dunas e praias

Por ter difícil acesso, as praias e dunas de Itaúnas são praticamente intocadas, o que preserva sua vida selvagem, tanto de flora quanto de fauna. Para chegar às praias, é importante pedir informações para alguém da região, pois as estradas são precárias, há poucas sinalizações e pela quantidade de bifurcações, parece até um labirinto. Resumindo: uma baita aventura.

Na região há diversas praias lindas e vamos citar algumas que você não pode deixar de conhecer. A primeira delas é a Praia Riacho Doce, que fica a 17 km de estrada ou 10 km de caminhada. Ela abriga um riacho de água doce e escura, ideal para banhistas. Os corais ajudam a formar o cenário.

A Praia Itaúnas fica dentro da reserva Parque Estadual, e é onde você encontra dunas de areia clara e fina com até 30 metros de altura. Dali você também pode fazer várias trilhas, inclusive conhecer o que restou da Antiga Vila. Há também alguns quiosques.

A Praia Costa Dourada, a 30 km da vila, é conhecida pela linda paisagem de falésias coloridas, corais, lagoas e manguezais. A Praia Coqueiros também é enfeitada por manguezais e recifes, e conta com bares e restaurantes, a 32 km da vila. Já a Praia Gesuel fica pertinho da vila, é só atravessar a pé uma passarela de madeira.

Para deixar o passeio ainda mais interessante, há algumas opções. Você pode navegar de caiaque ou canoa pelo Rio Itaúnas até a ilha fluvial de Dominguinhos, onde é permitido nadar. Já o passeio pela areia pode ser feito de bugue ou a cavalo, mas atravessar as dunas no comando do seu Jeep pode ser ainda mais emocionante

Depois de tomar sol, dar bons mergulhos, caminhar e relaxar, você pode fechar o dia com chave de ouro assistindo um pôr do sol fantástico.

Trilhas do Parque Estadual de Itaúnas

O Parque Estadual de Itaúnas tem cerca de 3.500 hectares e permite fazer uma trilha mais incrível que a outra. Você pode se aventurar tanto a pé quanto de bike.

A primeira delas é a Trilha do Tamandaré, que fica logo depois da ponte sobre o rio Itaúnas. Esse nome é uma homenagem ao “Seu Tamandaré”, morador da única casa que permaneceu de pé quando a Antiga Vila foi soterrada pela areia das dunas. A trilha de cerca de 700 metros leva justamente até sua antiga residência, onde morou até 2006.

A Trilha do Pescador é bastante curiosa, pois é um marco da tradição local. O caminho de 600 metros passa por floresta de restinga, até chegar à praia de Itaúnas onde ficam abrigados os barcos de madeira dos pescadores, chamados bateiras. Tradicionalmente a pesca na região é feita a remo ao longo da costa.

Já a Trilha do Buraco do Bicho se baseia em uma lenda da região. São duas horas de caminhada (2.800 metros) para chegar até um grande buraco nas dunas, que segundo os antigos, teria sido feito por um animal desconhecido. No caminho, você observa os postes do antigo telégrafo, de 1876, e uma flora rica de bromélias e árvores frutíferas.

Vale conferir também as trilhas da Borboleta e da Alméscar, ambas com paisagens naturais de bromélias e orquídeas. E a trilha do Beira-Rio, por onde se vê ruínas do antigo porto, utilizado no início do século 20 para escoamento da madeira.


Gostou deste conteúdo? Se inscreva na nossa newsletter para receber mais dicas de destino de viagem e cuidados com seu Jeep.

Confira também nossa Checklist de revisão antes de viajar com seu Jeep.