O Jeep e seus mais de 80 anos de história

21/01/2021


Criado pela extinta fabricante americana Willys Overland na década de 1940, o Jeep só se tornaria marca anos mais tarde. A robustez, a inovação e o carisma das sete fendas conquistaram milhares de aventureiros.

O 4x4 se tornou sinônimo de off-road, sendo considerado uma das maiores referências do mercado. Em mais de 80 anos de história, os veículos da marca participaram de momentos memoráveis. Conheça a trajetória da marca.

Criado para a Segunda Guerra

O primeiro veículo Jeep foi criado em 1940 para atender às necessidades das tropas americanas, durante a Segunda Guerra Mundial. O país já previa sua participação na guerra e se preparava para o conflito, mas encarava a falta de veículos leves.

Na época, o exército precisava de um veículo forte, com tração nas quatro rodas e capacidade para transportar soldados e armas. Assim, nasceu o Willy MB, em 1941.

Com grade frontal de sete fendas, faróis arredondados, duas portas laterais e step sobressalente na traseira, o Jeep fez história. Ele seria usado tanto para movimentar as tropas, quanto para transportar feridos em diversos tipos de terreno.

De tão inovador, o 4x4 foi citado pelo comandante das forças aliadas, o general Dwight Eisenhower, como uma das quatro ferramentas fundamentais para derrotar o Eixo, liderado por Hitler. As outras tecnologias importantes para a vitória seriam a bazuca, a bomba atômica e o avião de transporte C-47.

Jeep para civis

Após o conflito, a Jeep lançou no mercado o primeiro modelo para civis, o Willy CJ-2A. O veículo era ideal para o meio rural, além de ter sido utilizado por indústrias, com capacidade para atuar em plantações e também como guincho.

No ano seguinte, a marca lançou um utilitário para toda a família, o Willy Jeep Station Wagon. O modelo teve mais de 300 mil cópias produzidas nos Estados Unidos e chegou inclusive ao Brasil.

Outros modelos também entraram para a história, como o elegante Willys Jeepster (1948) e o CJ-5 (1954), que já era montado no Brasil antes mesmo da instalação da primeira montadora da marca no país, em 1957.

A Jeep no Brasil

O Jeep é considerado um dos primeiros veículos fabricados no Brasil e conquistou rapidamente o coração da população nacional. Em 2015, o país recebeu a primeira fábrica exclusiva da marca fora dos Estados Unidos. No mesmo ano, nascia o Renegade, o SUV compacto.

No ano seguinte, a segunda geração do Compass em 2016 foi lançada como o melhor 4x4 do mundo. Esse utilitário urbano, moderno e confortável é um clássico nordestino, fabricado em Pernambuco.

Os dois modelos se tornaram líderes de vendas, comprovando a paixão dos brasileiros pela marca. E em 2017, a Jeep foi considerada a marca campeã de vendas de SUVs do país.

7 curiosidades sobre a marca

  1. Origem do nome

Assim como as melhores lendas, a origem do nome Jeep é desconhecida. Porém, existem pelo menos quatro teorias:

A primeira delas se refere ao apelido GP, derivado da expressão "General Purpose", traduzido para o português como "proposta geral". Quando a sigla é pronunciada em inglês, soa como Jeep.

A expressão Jeep também era utilizada como uma gíria para protótipos de veículos de transporte em geral. Esse nome também era utilizado pelos soldados durante a guerra.

Há quem diga também que Jeep seria uma sigla para "Just Enough Essential Parts", que significa "apenas peças essenciais".

Mas tem teorias que se relacionam até com desenhos animados. É o caso do personagem Eugene, de Popeye. Esse ser mágico vivia na floresta e tinha poderes que utilizava para resolver problemas. O nome do veículo teria vindo do som que o personagem emitia "Diipi, diipi".

  1. Sinônimo de off-road

A marca Jeep acabou se tornando uma referência em veículos off-road. Ainda que outras marcas tenham produzido modelos semelhantes, o nome Jipe se popularizou. Do Brasil até a China é com esse nome que os carros “fora de estrada” são reconhecidos.

  1. Grade de 7 fendas

Marca registrada da Jeep, a grade de sete fendas não fez parte de todos os veículos. Durante a guerra, alguns modelos possuíam nove ou onze aberturas na grade frontal para refrigerar o motor. Hoje, o padrão “sete” é considerado uma regra de estilo e deve estar presente em todos os modelos da marca.

  1. Faróis redondos

Já os faróis arredondados, que também são característicos da Jeep, não são obrigatórios. Exemplo disso é o Grand Cherokee e o Compass. Até a Wrangler já teve faróis que fugiam ao padrão. Em 1987, sua quarta geração teve faróis retangulares, mas voltaram a ser redondos anos mais tarde.

  1. Dia do Jipe

Sim, o 4x4 mais querido do mundo possui uma data especial só pra ele. 4 de abril (4/4) é considerado o “Dia do Jipe”. Em São Paulo a data chegou a ser fixada por meio da Lei 14.026, de julho de 2005.

  1. Nas telas do cinema

Com certeza você já se deparou com um carro da Jeep nas telonas de cinema. Segundo a marca, seus veículos já apareceram em ao menos 7.000 filmes. O Jeep também é popular nos games, já tendo aparecido em mais de 400 jogos, tanto de tabuleiro quanto em eletrônicos.

  1. Cumprimento de jipeiros

Os amantes de Jeep formam uma verdadeira comunidade mundo afora. Nos Estados Unidos, por exemplo, existe até um cumprimento que os motoristas desses veículos fazem uns aos outros. Ao ver outro jipeiro, basta fazer um V com os dedos, enquanto as duas mãos estão no volante. Essa cultura é muito comum entre motoristas de Wrangler.


Gostou de saber a história dessa grande marca? Agora, confira nosso guia completo sobre como preparar o seu Jeep para pegar estrada.